Títulos Públicos: Por onde começar?

Atualmente você já deve ter percebido a crescente onda de pessoas querendo investir seu dinheiro em todo tipo de produto financeiro, como Títulos Públicos, por exemplo.

As pessoas estão buscando cada vez mais segurança para o seu dinheiro e enxergam nos investimentos uma maneira de se resguardar, realizar sonhos até mesmo se prevenir contra eventuais crises no futuro.

Os títulos públicos são produtos financeiros pelo quais a demanda tem aumentado com o tempo e os motivos para isso você encontra a seguir.

Para facilitar sua experiência, navegue pelos tópicos abaixo.

Boa leitura!

O que são títulos públicos?

Vamos começar do começo.

Títulos públicos nada mais são que títulos disponibilizados pelo Governo Federal, através do Tesouro Nacional, que, por sua vez, tem a responsabilidade de administrar todo e qualquer recurso que entra no caixa público.

Deu pra entender? Ainda não? Então, vamos lá:

De forma ainda mais básica, ao comprar um título público é como se você estivesse “emprestando” dinheiro ao Governo e, como forma de compensar esse empréstimo, você recebe esse valor de volta, porém com juros.

Caso esteja se perguntando para onde vai o seu dinheiro, a resposta é simples: ele é utilizado para no custeio de projetos de interesse social, como por exemplo: escolas, hospitais, rodovias etc.

Quais os tipos de Títulos Públicos?

Os títulos públicos são diversos e você pode escolher cada um dependendo do seu perfil investidor. São eles:

Tesouro Selic ou LFT

O Tesouro Selic é um dos títulos públicos mais conhecidos. Para ele é levado em consideração a variação da Taxa Selic, a taxa de juros básica da economia. 

Isso quer dizer que, se o índice da taxa Selic subir, seus rendimentos no Tesouro Selic também irão subir e vice-versa.

Por apresentar essas características, o Tesouro Selic é considerado um título público pós-fixado, ou seja, você só saberá quanto será seu rendimento na data de vencimento do investimento – falaremos a mais sobre isso daqui a pouco.

Esse título público é ideal para quem quer fazer investimentos de curto prazo, pessoas que já sabem com o que irão gastar futuramente ou até mesmo montar uma reserva de emergência.

Tesouro Prefixado ou LTN

O Tesouro pré-fixado consiste num título público que possui taxa fixa de juros que é mostrada assim que você aplica seu dinheiro nele.

Ou seja, como o próprio nome já acusa, esse título público é oposto ao Tesouro Selic, isso porque você já pode saber quanto será seu rendimento no ato do investimento.

No entanto, você só receberá seus rendimentos na data de vencimento da aplicação. Caso contrário, você terá um prejuízo.

Existe uma variação desse título público chamada Tesouro prefixado com juros semestrais (NTN-F), que é muito similar a LTN, sendo a única e mais marcante diferença o período de distribuição dos rendimentos.

Enquanto a LTN distribui os rendimentos de uma única vez na data de vencimento, a NTN-F faz essa distribuição semestralmente, ou seja, 2 vezes por ano, também na data de vencimento da aplicação.

Tesouro IPCA

Esse título tem como característica principal sua relação com a inflação. Por que? Porque a sua rentabilidade está ligada ao índice IPCA, que funciona como um termômetro para a inflação.

Por conta dessa característica, a natureza do Tesouro IPCA é híbrida, ou seja, ele é pré e pós-fixado ao mesmo tempo. 

Isso quer dizer que os rendimentos relacionados a inflação são pós-fixados, já que não há como prevê-la, porém ou juros em cima desses rendimentos são prefixados, pois você sabe no momento em que faz o investimento.

Existe uma variação desse título chamado de Tesouro IPCA+, que distribui os juros para os investidores semestralmente ou 2 vezes por ano.

Rentabilidade dos títulos

Prefixados

Os títulos públicos com esse tipo de rentabilidade são aqueles que possuem uma taxa juros fixa. Dessa forma, você já fica ciente de quanto você vai receber em juros no ato do seu investimento.

Mas preste muita atenção, pois você deve levar em consideração fatores como o tempo de vencimento das suas aplicações, que podem ser semestrais ou anuais, para o recebimento desses rendimentos.

Outra característica desse tipo de títulos públicos, é que ele quase não sofrem alterações em seus rendimentos.

Pós-fixados

Já os títulos públicos pós-fixados tem como característica principal a sua variação de rentabilidade, pois, dependendo do contexto político e econômico do país, ela pode ser maior ou menor.

Isso porque esse tipo de título se relaciona com índices com IPCA ou a inflação, que não podem ser previstos, no máximo se consegue fazer projeções e estimativas sobre eles.

Ou seja, com os títulos pós-fixados você consegue apenas saber quanto receberá apenas na data de vencimento.

Como investir em Títulos Públicos?

Bom, agora que você conhece os títulos públicos, chegou a hora de saber como aplicar seu dinheiro neles.

Basicamente existem 2 meios de se investir nesses títulos:

Investir no Tesouro Direto 

Nessa opção você faz sua aplicação no Tesouro Direto, que é uma plataforma criada pelo Governo Federal. Ela permite que qualquer pessoa invista em títulos públicos. 

Para fazer aplicações no Tesouro Direto você precisa criar uma conta em uma corretora de investimentos. 

ATENÇÃO: Algumas dessas corretoras cobram taxas para que você possa investir e outras não. Logo, priorize as que não possuem taxas.

Investir em Fundo de Renda Fixa

Fundo de renda fixa é uma espécie de carteira composta de variados produtos financeiros, dentre eles os títulos públicos.

Essa modalidade é oferecida por instituições financeiras, ou seja, bancos. Nela existe um gestor que vai cuidar dos seus investimentos.

Esse gestor controla os investimentos de modo que a rentabilidade seja boa o máximo possível, por isso ele pode inserir ou retirar aplicações da carteira para mantê-la rentável.

ATENÇÃO: Existem taxas que são cobradas no fundo de renda fixa, como por exemplo IOF, IR e a taxa administrativa.

Tributação

Aqui as coisas são bem simples. Existe uma tabela que mostra as alíquotas ou impostos que incidem nas aplicações de acordo com o tempo.

Títulos Públicos

Essa tabela é chamada de Tabela Regressiva, pois quanto mais tempo o seu investimento passa aplicado, menor será incidência do imposto.

Conclusão

Chegamos ao final do post e com todo o conhecimento que você  recebeu deve estar se perguntando: “Qual é o melhor título público para investir.”  

A resposta não poderia ser mais simples: não existe um “melhor” título público. Isso porque as suas aplicações irão depender unicamente do seu perfil investidor.

Você tem planos para o seu dinheiro a curto prazo? Quer construir uma reserva de emergência? Está pensando mais a longo prazo, na sua aposentadoria? 

Essas são perguntas que você deve se fazer a partir delas escolher o título público que mais se encaixa às suas necessidades. Mas isso não significa que você precise fazer isso sem auxílio.

Por isso não deixe de acompanhar os demais conteúdos do blog e de minhas redes sociais. Garanto que você terá o melhor aprendizado possível sobre educação financeira e investimentos.

Para mais conteúdos, me siga em minhas redes sociais: