Reserva de Emergência: como criar a sua?

Atualmente, devido à pandemia de Covid-19, muitas pessoas acabaram perdendo seus empregos ou tendo que fechar suas empresas. Por isso, possuir uma reserva de emergência é tão necessário.

As adversidades surgem quando menos estamos esperando, mas isso não quer dizer que não devemos estar preparados para lidar com elas, caso apareçam.

Neste artigo você vai aprender o passo a passo de como criar e gerir uma reserva de emergência.

Para facilitar sua experiência, navegue pelos tópicos abaixo.

Boa leitura!

O que é uma reserva de emergência?

A reserva de emergência nada mais é do que uma quantia que você pode (e deve) guardar em uma aplicação financeira da sua preferência.

Essa quantia servirá para cobrir despesas inesperadas ou qualquer outra emergência financeira que vir a surgir no futuro.

E porque ter uma reserva de emergência é tão importante? 

Digamos que você não possui uma reserva de emergência e algo inesperado acontece, como um reparo no seu carro, por exemplo. 

Sem a reserva de emergência você só teria, basicamente, duas opções nesta situação:

  1. Estourar seu orçamento do mês com o conserto do carro;
  2. Deixar o carro sem reparo.

Uma demissão sem aviso prévio, um problema de saúde na família ou uma reforma inesperada na casa, todos são exemplos de atribulações que podem surgir.

Adversidades financeiras não escolhem o “momento certo” para chegar. Quando menos percebemos temos que lidar com elas.

Por isso, se faz tão necessário começar uma reserva de emergência. Assim, você poderá se preparar previamente e lidar com esse tipo de situação de maneira mais tranquila.

Quando usar a reserva de emergência?

Para começar uma reserva você precisa fixar na mente uma única regra: ela deverá ser usada apenas para emergências.

Dito isso, é preciso ter muita organização e disciplina na construção desta reserva e só usá-la quando for realmente necessário.

Não se deixe levar por promoções “irrecusáveis” ou ofertas relâmpagos. Essas com certeza não são situações emergenciais, seja para você ou sua família.

Tenha em mente que a reserva é intocável, até que surja o momento certo para usá-la.

Como dito anteriormente: as adversidades chegam sem aviso. Por isso, além de “quando”, é muito importante saber “quem” vai começar a reserva financeira.

Se você mora sozinho, é óbvio que a reserva será feita apenas pelos seus investimentos.

No entanto, se você possui família, é essencial que todos que possam contribuam para a reserva.

Afinal, não há como prever quanto será gasto em um momento de necessidade. Por isso, com o investimento de cada pessoa, a reserva se torna mais robusta e pronta para quase qualquer eventualidade.

Além da vantagem com o tempo, a reserva de emergência permite que você e sua família vivam com mais tranquilidade, pois estão seguros financeiramente, caso surja alguma emergência.

Quanto devo investir na reserva?

“Qual é o valor ideal para colocar na reserva?”

Essa é uma pergunta muito comum para quem está começando a criar a sua reserva de emergência.

A verdade é que não existe uma resposta fixa para esta pergunta, pois o valor a ser investido na reserva depende do contexto financeiro que você está inserido ou inserida.

Voltemos ao exemplo anterior: 

Se você mora sozinho e tem poucos custos fixos, pode investir um pouco mais na sua reserva de emergência.

Mas, se você tem uma família e é responsável pelo sustento da mesma,  talvez você possa investir um pouco menos na reserva.

Além disso, deve-se levar em consideração a sua estabilidade financeira, ou seja, se você tem mais ou menos chances de sofrer reajuste de salário, por exemplo.

Se você for um autônomo, também está sujeito a ser um pouco mais instável financeiramente, pois sua renda irá sofrer variações com o tempo.

Ou seja, toda essa série de fatores vai determinar se você começa investindo um valor alto ou mais baixo na sua reserva de emergência.

Resumindo, o valor ideal para se colocar na reserva vai depender de pessoa para pessoa.

Criando a reserva de emergência

Grande parte das pessoas não possui renda para construir uma reserva de emergência robusta de uma só vez. Por isso, leva-se um tempo para formar a reserva.

Se você ainda não possui um fundo de emergência, é muito importante que você tenha disciplina, pois a construção desta reserva será feita com o passar dos meses.

Embora não seja difícil, construir uma reserva requer um grau de planejamento e organização elevados. Portanto, tenha foco no seu objetivo e não caia em tentação.

Com disciplina você acaba se acostumando em poupar o seu dinheiro e forma uma reserva financeira relevante.

Algumas práticas ajudam muito nesse processo de criação da reserva:

  • Liste qual é sua renda e de sua família, bem como seus custos fixos;
  • Corte/reduza gastos com coisas desnecessárias, que você pode viver sem;
  • Priorize suas despesas, assim você consegue ter metas de gastos;
  • Se possuir dívidas, procure quitá-las e não fazer novas.

Essas são apenas algumas ações que você pode tomar para ter o melhor gerenciamento de sua reserva de emergência. Colocando-as em prática, fica mais fácil de você se organizar e planejar financeiramente.

Onde fazer os investimentos da reserva?

Finalmente chegamos no ponto crucial com relação à reserva de emergência: onde investir

Antes de mais nada é muito importante ter em mente que o fundo emergencial serve para guardar dinheiro e não necessariamente ganhar. 

No entanto, para a reserva é importante ficar atento a dois fatores importantes: segurança e liquidez.

Além disso, por se tratar de uma reserva, é importante investir em aplicações que deem a possibilidade de sacar o dinheiro a qualquer momento.

Levando essas características em consideração, baixo você encontra 2 exemplos de aplicações para investir na sua reserva de emergência:

Tesouro Selic

Provavelmente você já ouviu falar desta aplicação. O Tesouro Selic faz parte do Tesouro Direto, plataforma do Governo Federal para negociação de Títulos Públicos.

Essa aplicação é recomendada para reserva financeira pois apresenta rendimento todos os dias ou rendimento linear. Ideal para quem busca liquidez na reserva.

Fundos DI

Os Fundos DI são conjuntos de aplicações diversas indexadas ao CDI. 

Esses fundos são indicados para investimento em reserva, pois apresentam baixo risco e possuem rentabilidade diária, diferente da poupança que é mensal. 

Além disso, você pode resgatar seus investimentos em curto prazo ou D+1. Porém, fique atento, pois os Fundos DI apresentam taxas administrativas que impactam diretamente no rendimento da aplicação.

Agora que você sabe o que é, como e onde investir na sua reserva, é hora de arregaçar as mangas e colocar em prática.

Lembre-se: disciplina e organização são a chave para construir uma boa reserva financeira.

Para mais conteúdos como este, me siga em minhas redes sociais.

Reserva de Emergência